O número 3 expande e frutifica

16 de janeiro de 2017 - por Aparecida Liberato

O 3 é o equilibro dos opostos 1 e 2. É também o produto da união de 1 e 2. É a frutificação.

Para Pitágoras, ele é a pluralidade e a multiplicidade. As trindades movimentam o Universo. O 3 é um número perfeito.

Para os gregos, é um número de poderes mágicos, associados aos seus deuses. Vários aspectos importantes da nossa existência estão resumidos em três pontos.

Há 3 fases da existência humana: nascimento, vida e morte. Passado, presente e futuro; pensamentos, palavras e obras; manhã, tarde e noite; começo, meio e fim; terra, ar e água; estados sólido, líquido e gasoso; três reinos da natureza: animal, vegetal e mineral; as três cores primárias: vermelho, amarelo e azul.

Existem tríades em todas as civilizações: pai, filho e espírito santo.

Para os cristãos Deus é um em 3 pessoas; há 3 cruzes, Jesus foi negado 3 vezes por Pedro, no 3º dia subiu aos céus; Adão teve 3 filhos; Noé também teve 3 filhos. Os 3 reis magos.

Para os romanos e para os gregos o número 3 tinha grande poder: as festas duravam três dias e para trazer sorte, eram sacrificados três animais.

O Budismo possui as 3 divindades: Buda, Darma e Sanga.

No Hinduísmo, a manifestação divina é tripla: Brama, Vishnu e Shiva. São 3 os elementos da alquimia: o enxofre, o mercúrio e o sal.

Aristóteles já dizia: “O que é feito 3 vezes se torna lei”. E assim o 3 seguiu, sendo referência até hoje: 3 desejos, 3 chances.